The Life of a Nurse Informaticist

Identificaremos as áreas-chave onde os estudos nos dizem que surgem problemas: educação inadequada da alta, um paciente não tem apoio em casa, audição ou visão deficientes, ou estar a tomar múltiplos medicamentos. Tomaremos essas variáveis e identificaremos como e onde no sistema devemos alertar uma enfermeira de que se trata de uma possível bandeira vermelha e dar-lhe-emos os elementos de um plano para diminuir o risco de uma readmissão. Explicamos à equipa técnica e de aplicação o que precisamos que o sistema faça. Eles constroem-no, e nós validamos a construção. Depois voltamos à liderança clínica e demonstramos o que foi concebido e construído. Se aprovado, levamo-lo aos hospitais e pedimos feedback, o que pode levar-nos a afiná-lo novamente.

A investigação é outra grande área para enfermeiros informáticos. Grande parte da investigação que é feita é utilizada pelos vendedores no seu desenvolvimento de um produto. É uma relação simbiótica, e os bons vendedores incorporam e utilizam sinceramente o que ouvem das pessoas neste papel.

Ainda de um informático faz uma enorme diferença num projecto de TI, porque alguém tem de ser capaz de traduzir e falar com a liderança para os trazer a bordo antes de qualquer iniciativa. Sem isso, qualquer tipo de gestão de mudança não pode ser bem sucedida. É por isso que há um tal aumento na procura de enfermeiros informáticos; é preciso que pessoas como nós compreendam e depois traduzam as necessidades clínicas para uma função tecnológica e vice-versa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *